close
logorovivo2

CULTURA - Incentivo do Sesc ao teatro ultrapassa fronteiras

O incentivo dado a grupos teatrais de Porto Velho pelo Sesc Rondônia ultrapassa os limites da Capital do Estado e leva os artistas a um número cada vez maior de espectadores. Sem limitar a participação de grupos ou artistas em eventos realizados ao longo

DA REDAÇÃO

3 de Setembro de 2010 às 14:57

CULTURA - Incentivo do Sesc ao teatro ultrapassa fronteiras

FOTO: (Divulgação)

O incentivo dado a grupos teatrais de Porto Velho pelo Sesc Rondônia ultrapassa os limites da Capital do Estado e leva os artistas a um número cada vez maior de espectadores. Sem limitar a participação de grupos ou artistas em eventos realizados ao longo do ano, o Sesc Rondônia trabalha com a apresentação de diversos gêneros teatrais nos mais diferentes municípios do Estado. 
A atriz Ângela Cavalcante, do grupo Quebra Cabeça, fala com satisfação da participação no projeto Cultura Sesc Itinerante.

“Passamos dois meses em viagem pelo interior do Estado e vivemos a experiência espetacular de conhecer novas plateias e apresentar nosso trabalho para crianças que jamais poderiam ir ao teatro se não fosse uma ação gratuita do Sesc”, comenta a atriz, que atua na peça “O médico camponês ou a princesa engasgada”.

Ângela Cavalcante também comemora a possibilidade de viver outras realidades e conhecer plateias da zona rural, principalmente as crianças. “É grandioso poder ter uma visão de mundo diferente daquela que estamos acostumados. Este registro não tem preço. É um incentivo cativante para o artista, que é tratado com todo profissionalismo possível pela equipe do Sesc”, completa a atriz. Outro artista que compartilha da felicidade em percorrer o Estado, por meio dos projetos culturais do Sesc, é Eulles Lycaon, que faz parte do grupo de teatro Evolução, que conta com oito associados.

Para Eulles Lycaon, o Sesc valoriza o artista de maneira incontestável e acredita na cultura em Rondônia. Ele explica que participando dos eventos realizados pelo Sesc conseguiu perceber a carência por arte que a população possui.

“Participamos de vários projetos como o ‘Cultura Sesc Itinerante’, ‘Aldeia Guaporé de Ji-Paraná’ e ‘Palco Giratório’, onde recebemos um tratamento totalmente profissional. Somos recebidos com a atenção e respeito que o artista merece e isto é fundamental para motivar novos atores e atrizes a encarar esta difícil tarefa de fazer cultura em Rondônia”, comenta.

“A cada evento novas experiências são trocadas. Artistas de outros Estados chegam e conseguimos também nos inserir no cenário nacional. Essa visibilidade transcende o teatro e atinge todas as expressões artísticas”, destaca Chicão.

Ele explica também que a participação de Rondônia no circuito do Palco Giratório nacional veio na hora certa e tem sido surpreendente a receptividade do público. “Nosso cenário cultural precisa de muito apoio para atingir visibilidade nacional e participar de eventos assim é necessário para alcançar o respeito e abrir novas portas para os artistas locais”, comenta o ator.

Chicão Santos ressalta que os grupos locais precisam buscar o profissionalismo e a criação de novos espetáculos.

“É preciso pensar no teatro como algo que precisa alçar voos e sair do lugar comum. Devemos cada vez mais pesquisar e estudar muito para levar ao público o melhor que podemos. Experiências inovadoras conquistarão mais incentivos e apoios. A produção continua é essencial para mantermos o teatro em Rondônia”, completa.

Este mês de setembro, o Sesc Rondônia realiza o festival Palco Giratório que apresentará 33 espetáculos gratuitos.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS