close
logorovivo2

ESPETÁCULO - Versão inovadora de “Chapeuzinho Vermelho” é atração neste sábado em Porto Velho

Uma versão diferente, popular e criativa da velha história de "Chapeuzinho Vermelho" é atração da abertura do "Palco Giratório" em Porto Velho, neste sábado, na quadra do Sesc/Esplanada. Saiba mais. >>>

DA REDAÇÃO

5 de Maio de 2007 às 14:00

ESPETÁCULO - Versão inovadora de “Chapeuzinho Vermelho” é atração neste sábado em Porto Velho

FOTO: (Divulgação)

*Movimentos, cores, danças populares, folguedos e música, apresentando uma versão ousada, diferente e bastante popular da tradicional história infantil “Chapeuzinho Vermelho”, assim o grupo Remo Produções Artísticas (do Teatro Armazém de Pernambuco) abre a temporada do Palco Giratório em Porto Velho com o espetáculo “Quem Tem, Tem medo”. *Além da apresentação da peça musical, que acontece neste sábado (06), às 19h30, na quadra do Sesc/Esplanada, uma oficina de danças e folguedos populares, ministrada pela atriz do grupo, Viviane Madureira, foi oferecida. *
O ESPETÁCULO
*”Quem Tem, Tem Medo”, é uma adaptação diferente, com uma identidade cênica ousada, onde os três atores em cena (Arilson Lopes, Irandhir Gleriston e Viviane Madureira), interpretam, através do canto e da dança a velha história da “Chapeuzinho Vermelho”. Não há diálogos na peça, e toda a transmissão da história e feita através da dança. *O espetáculo é uma produção luso-brasileira dos grupos Entretanto Teatro, de Valongo (Portugal) e da Remo Produções Artísticas, de Recife-PE, sob a direção de Júnior Sampaio. De acordo Irandhir, um dos atores, o espetáculo nasceu a partir de um projeto cultural, de cunho educacional, aplicada com estudantes do ensino público no Brasil em Portugal (a partir de crianças de 3 até os 13 anos de idades), onde cada um deles deveria dar a sua interpretação pessoal da história de “Chapeuzinho Vermelho”, através de redações ou desenhos. Desse processo inicial foram recolhidos quase quatro mil desenhos, de onde foram tiradas cerca de 400 obras, para compor um painel que inspirou a adaptação e serviu de mote para uma exposição que acompanha o espetáculo. *A preparação da montagem durou dois meses e meio, com um rigor de horário de oito horas por dia, entre os meses de maio e julho de 2004, quando o espetáculo estreou. *Irandhir disse que por se tratar de uma peça infantil, a interação com as crianças ocorre de maneira espontânea e natural, mas não influi dentro do contexto da encenação. “A não ser no início quando temos contatos com elas”. *Ele revelou que pelo fato da peça ter sido uma criação de dois grupos de teatro, um de Portugal e outro do Brasil, as encenações aconteciam, de início, com duas montagens idênticas, mas com grupos diferentes, onde o público escolhia qual queria assistir. Atualmente o mesmo espetáculo é apresentado em Portugal, pelo grupo Entretanto. *As cores, o uso dos recursos da dança e da música, proporcionaram buscar inspirações populares, influindo diretamente nos figurinos e adereços. Os desenhos selecionados sugeriram ao grupo a recriação dos conhecidos personagens da história em infantil em destaque a partir dos estereótipos fundindo com as características mas vibrantes dos folguedos regionais. Sem diálogos a coreografia faz o tempo da comunicação corporal com o uso de expressões artísticas populares como o maracatu, a ciranda, o caboclinho, o xaxado, o pastoril e o frevo. Um caldeirão de ritmo de dança. *O grupo Remo de Porto Velho deve seguir para Belém (PA), onde dentro da programação do Palco Giratório, além da apresentação e oficina, estenderão sua participação em ciclos de debates e encontros com artistas da terra dentro da proposta da programação do Palco Giratório, numa extensão chamada “Pensamentos Giratórios”. *Aqui em Porto Velho, logo após a apresentação do espetáculo “Quem Tem, Tem Medo”, será aberto um espaço de bate-papo, entre público e os artistas, para debater sobre o que foi mostrado. *"Quem Tem, Tem Medo" é um programa pra toda família, sem restrições de idade. *
SERVIÇO
*Os ingressos já podem ser adquiridos nas Centrais de Atendimento do SESC Centro e Esplanada (informações nas Centrais de Atendimento do SESC/RO, pelos telefones 3229-6006 e 3221-2023). Comerciários, Conveniados e Estudantes – R$ 5,00; Crianças de 3 a 12 anos – R$ 5,00; Usuários R$ 10,00; Criança até três anos não paga. *
O QUE É O PALCO GIRATÓRIO? *O projeto Palco Giratório foi criado pelo Departamento Nacional do Sesc, desde 1998, com o objetivo de difundir e descentralizar as artes cênicas no Brasil. A iniciativa se transformou em uma das ações culturais mais importantes do país, pois através do projeto a população pode ter acesso às produções teatrais de qualidade. Com uma programação múltipla, diversos espetáculos circulam pelas capitais e cidades do interior do Brasil, viabilizando a troca de experiências entre grupos de teatro de todo o Brasil. *Através da criação do Palco Giratório, o Sesc contribui para a política de descentralização e proporciona o acesso de todos à cultura, consolidando novas praças ou mercados emergentes fora do eixo sul. Além dos espetáculos, a mostra recebe também o ciclo de debates Pensamentos Giratórios, que acontece paralelamente à programação. As mesas-redondas e palestras exploram temas abordados pelos espetáculos, com participação de convidados e artistas locais. *
Balanço 2005
*Na última edição do Palco Giratório, 30 grupos de artes cênicas apresentaram 100 espetáculos e 1500 apresentações. Cerca de 600 pessoas trabalharam na produção do projeto, que percorreu 80 espaços em 90 cidades de 22 Estados. Também foram realizados 1.300 debates, cerca de 200 Pensamentos Giratórios, além de 350 horas de oficinas, 50 intercâmbios, 30 mesas-redondas, atraindo um público de 560 mil espectadores.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS