close
logorovivo2

MOMENTO LÍTERO CULTURAL

POR SELMO VASCONCELLOS

14 de Agosto de 2018 às 09:43

MOMENTO LÍTERO CULTURAL

FOTO: (DIVULGACÃO)

01-Coluna dedicada à CONFRARIA  do  “BURACO  DO  CANDIRU” – PORTO VELHO, RO.

 

02-ROSEMARY LOPES PEREIRA - CURITIBA, PR – EM MEMÓRIA
AMIGOS DE CORAÇÃO

Talvez o frio intenso. A vontade de me aquecer. Este silêncio feito de lembranças. Talvez a carta que recebi. O convite para o café. O sorriso de uma criança. Ou as frases que li. Sobre o valor das amizades.
Se Jesus chorou por Lázaro seu amigo. O que posso dizer. Sobre esse dom enriquecedor da vida. O de ser amigo ? ainda há pouco, um amigo meu partiu. De uma forma arrasadora. Nesta mistura de lembranças, fico perdida. Absorta. Numa meditação profunda. O que temos feito por aquele que chamamos de amigo ?
Suaviza a tarde. Enxugo minhas lágrimas. O sol se infiltra pela janela. O sol amigo. Para todos. Sinto crescer na minha alma um desejo. De ser o sol para aquecer a todos. Francisco de Assis, conhecia esses dons. Agradecia e saudava. A lua, o sol, a água. Assim é um amigo. Esse conjunto de graças. Belo como o luar. Aquecedor como o sol. Envolvente como a água.
Mais poderoso que a tecnologia. É o pensamento. O coração. Sente e vibra a qualquer distância. Vai até o amigo a qualquer hora. Como agora. Que viajo para rever. Os amigos que fiz na minha caminhada. Com eles andei. Cantei e também chorei. Com eles ainda vivo. Guardados no peito. Cheio de afeição. Amigo é como uma estrela brilhante. Mesmo distante, é luz no céu da vida.
Visito hoje. As ruas de minha alma. Resgato imagens e sons. Rostos e vozes. À sombra do edifício que é a vida, paro. Reconstituo cenas. De momentos vividos. Dos meus amores eternos.
Meus abraços carregam carinhos. Meus lábios acrescidos de bênçãos. No beijo e na palavra. Guardo no peito. Num relicário que não envelhece. Que acolhe todos os gestos e lembranças.
Sou a mais rica das criaturas. O frio empurra o vento. O vento derruba a flor. E eu recolho as pétalas da vida. Que Deus abençoou.
Meu amigo que caminha com as estrelas. Que está perto de mim. Que me acaricia. Que me escreve. Que me oferece bombons. Que lê meus pensamentos. Que canta uma canção. Coisas simples que nem sei. Que acontecem de repente. E que me cativa para sempre.
Amigos que eu fiz e que ainda faço. Que passam por mim. Um abraço de luz e de paixão. Capaz de abalar o mundo, dos que em nada creem.

 

03-SÍLVIO PERSIVO  - PORTO VELHO, RO.

NO TEU CORPO

 

Só no teu corpo o luar brilha.

Só no teu corpo há estrelas.

Há céu apenas no teu corpo

E mar e luz e fantasia.

 

Só no teu corpo o sol flutua.

Só no teu corpo o ar balança.

Há mundo apenas no teu corpo

E som e festa e magia.

 

Só no teu corpo as coisas vivem.

Só no teu corpo os homens sonham.

Há terra apenas no teu corpo

E silencio e gozo e vida.

 

04-JANETE CORTEZ – SANTO ANDRÉ, SP.

 

"Digna-te, Senhor, adormecer-me nas profundidades dessas areias adormecidas onde trabalhei tão bem." Antoine de Saint-Exupéry.

 

05-MARCELO MOURÃO – RIO DE JANEIRO, RJ.

POEMINHA NARCÍSICO

 

Uma menina me perguntou,

toda prosa, o que eu via em seu olhar.

E eu respondi sem demora:

- A pupila, a íris, a córnea,

a esclerótica, o globo ocular.

E nele refletido um alguém que,

juro, eu não me canso de amar!

 

06-DENISE MORAES – VITÓRIA, ES

Homenagem a Waleska

 

Capixaba do Sul do interior,

Nasceu Maria da Paz.

Do seu sonho sempre persistente.

Remeto-me à infância amiudada.

A bela loira ao violão a cantar,

“Bolinha de Sabão, pluf”!

E, nós atentas à saudosa cena perspicaz.

O coqueiro sob o luar a nos abrigar.

De JK, Norte/Sul e Exterior: Waleska!

Na Cidade Maravilhosa cantou e encantou

Batizada pelo Poetinha “Rainha da Fossa”.

“Foi a noite”, autobiografou.

 

07-INÊS CANCELIER MORETO – OURO PRETO DO OESTE, RO.

 

Tem hora que

a alma baqueia

fica meio alheia

zonza no caminho;

se procura o ninho

falta a consistência

de uma consciência

que ficou sozinha.

Vez por outra

Encontra o prumo

Rompe um novo rumo

Um novo carinho!

 

08-CLÁUDIA ALENCAR – RIO DE JANEIRO, RJ.

DÉCADA DE 80

 

Nessa época invertebrada

de grifes tatuadas

neste planeta ácido

flácido, sangrado

o amor e a indiferença

de mãos dadas

valsam mascarados

a insônia da existência drogada

 

09-SONIA SALES – SÃO PAULO, SP.

SAUDADE

 

Queria ser um anjo

liberta de amor e sofrimento

estática como o marfim

um mármore indomado.

um caleidoscópio repleto de

amor, reflexo de mil cores.

O vento soprando folhas, no

silêncio das noites de abril.

Uma andorinha falando com

as estrelas. A alegria de voltar

da escola – ser criança

outra vez.

 

10-ROSANA AMORIM SCHOEPS – Santo André, SP

MORBIDEZ

 

Calabouços, arcabouços :

Obtusos e obscuros.

Diapasão da nota silenciosa

De algo torpe e insosso.

Escamas de velhos dedos

Que arranham portas

Enferrujadas pelo tempo.

Mãos desnudas. Entretanto

Carregam o peso de seus pesadelos

Nesses corredores escuros.

Lápide de algo vivo.

Lama pegajosa nos pés

Tortos de andar esguio.

Calabouços e arcabouços :

Obtusos e obscuros

Nessas cabeças fechadas.

 

11-JAIME VIEIRA – Maringá, PR.

AMANHECER

 

O sol amarrado no porão

Da noite escapa

Afugenta a lua

Espanta as estrelas

Decidido vai para rua

E anuncia um novo dia.

 

12- Dr. ADOLF P. SHVEDCHIKOV, Ph.D. – MOSCOU, RÚSSIA.

MY MUSE, UNDYING NIGHTINGALE


My Muse, undying nightingale,
Guide me reliably through the dark,
Sail around the world, my proud bark,
Tell the people blissful fairy tale.
Don’t permit me to change the right course,
Gentle Muse, don’t burn your silken wings,
We hope to be met with new springs,
To scatter our songs through the Universe!

MINHA MUSA, ROUXINOL ETERNO


Minha Musa, rouxinol eterno,
Guia-me seguramente pela escuridão,
Veleje ao redor do mundo, meu brado orgulhoso,
Conte para as pessoas o conto das fadas feliz.
Não me permita mudar o curso certo,
Musa suave, não queime suas asas sedosas,
Esperamos ser conhecidos com novas primaveras,
Espalhar nossas canções através do Universo!

 

13-MÁRCIA GUIMARÃES – ARACAJU, SE.

Solidão II

 

Sou como o pássaro solitário no fio do poste...

Uma imensidão em minha volta e eu, só.

Maravilhas ao meu redor e eu, só.

 

14-DINOVALDO GILIOLI – FLORIANÓPOLIS, SC.

Inspiração

 

Oh! doce inspiração

doce companheira

luz do coração

esperança derradeira.

 

Se fitam, meus olhos já não veem,

Se olham, já não percebem,

és tu, inspiração,

cegueira sentimental.

 

15-HUMBERTO DEL MAESTRO – Serra, ES – Vitória, ES.

MIGALHAS

 

Deus jogou migalhas no universo, no infinito

e apareceram as galáxias, os astros.

Deus jogou migalhas nos astros

e surgiram as coisa, os homens.

Deus jogou as migalhas nos homens ...

Quanta migalha, meu Deus !

 

16-JORGE DOMINGOS – PETRÓPOLIS, RJ.

Suíte dos Pecadores

 

A velha mendiga

arrumou os trapos

e dormiu na calçada,

encostadinha no hotel.

Apenas uma parede

separou-a do quarto quente

colchão e cobertas,

uma parede...

compreendi o Muro de Berlin

 

17-LEINECY PEREIRA DORNELES – CASSINO, RS.

EU TE ACEITO

 

Está feito,

Não poderei mais te olvidar

Num instante tu me conquistaste,

Num instante, me capturaste;

Foram varridas minhas dúvidas.

Foram embora meus temores,

Pois sem te ver, eu te reconheci,

Te senti, sem te tocar

Te compreendi sem te escutar...

 

Marcada, estou pelo teu amor.

Está feito, não poderei te esquecer.

Agora, sei que estás ai,

Presente junto a mim,

E, em paz eu te aceito

E te amo...

 

18-DILERCY ADLER ARAGÃO – SÃO LUÍS, MA.

MERGULHO

 

Aquela sensação de perda

já conhecida

bate outra vez

Não abro

Mergulho !

 

19-TÃNIA DINIZ – Belo Horizonte, MG.

 

Dulcíssimo perfume.

A noiva e a laranjeira

Brancas flores.

 

Amou-me como um deus

Amei-o como louca.

Paixão barroca.

 

20-SELMO VASCONCELLOS – PORTO VELHO, RO.

VIDA

 

Esse dom de Deus que nos dá

É cheio de incerteza e dúvida.

Se fôssemos levar pelas peças

que ela nos prega

Não estaríamos mais vivendo.

 

MAIS COLUNAS

Selmo Vasconcellos

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS