close

Concurso Banco do Brasil: em 2020, instituição quer selecionar mais jovens

O concurso Banco do Brasil 2020 tem o objetivo de atrair os mais jovens. Entenda!

ASSESSORIA

3 de Fevereiro de 2020 às 11:31

Concurso Banco do Brasil: em 2020, instituição quer selecionar mais jovens

FOTO: (Divulgação)

O concurso Banco do Brasil (BB) 2020 é uma realidade e milhares de interessados já começam a se preparar para conquistar uma vaga de escriturário. Mas há um público específico que o BB deseja atrair para as  seleções deste ano: os millennials.

 

A informação foi confirmada pela Coluna Broadcast, do Estadão. De acordo com a publicação, o banco está pretendendo mudar a forma de atrair candidatos, com o objetivo de chamar a atenção dos mais jovens para o concurso público.

 

Pela primeira vez o banco pretende recrutar quem entende de transformação digital via redes sociais, polos tecnológicos e eventos em faculdades.

 

As vagas deverão ter o perfil dos geeks e da nova geração. Os cerca de 40 a 60 selecionados terão o acompanhamento de gestores. 

 

A Coluna também confirma a informação apurada por FOLHA DIRIGIDA em primeira mão: haverá concurso para escriturário em 2020, o primeiro com  edital previsto para ser lançado em março. A publicação, no entanto, menciona ainda que um outro edital será lançado, também em 2020, este provavelmente para a área de Tecnologia da Informação.

 

Além do plano de desenvolvimento do concurso, a remuneração para as vagas serão atraentes. O piso da área de TI (Tecnologia da Informação) do banco é de R$10 mil, mais do que os jovens costumam receber em empresas privadas no Rio, em São Paulo e em Brasília, que é onde os processos seletivos irão transcorrer. Mas há expectativa de vagas tanto para essa área quanto para o escriturário tradicional.

 

Este escriturário recebe R$4.036,56 mensais, valor que já inclui os auxílios-refeição e alimentação, para carga de 30 horas por semana. Mas não para por aí. O contratado ainda tem direito a:

 

- Auxílio-transporte (variável de acordo com a localidade do funcionário);
- Participação nos lucros (geralmente, paga duas vezes ao ano)
- Plano de saúde e odontológico;
- Previdência privada com participação do banco;
- Auxílio creche/babá
- Auxílio ao filho com deficiência; e
- Possibilidade de ascensão profissional.

 

 

Presidente estuda concurso para área de TI

 

Em entrevista ao portal de notícias G1, o presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, disse que a instituição estuda um novo concurso específico para contratar profissionais da área de Tecnologia da Informação (TI). Segundo ele, o projeto já avança na área de Recursos Humanos do BB.

 

"Nós estamos pensando na possibilidade de um concurso mais direcionado para essa área de Tecnologia e Inovações. Hoje, a porta de entrada do BB é só um concurso para escriturário", disse.

 

Apesar da declaração do presidente, o próximo concurso Banco do Brasil deverá contar apenas com vagas para o escriturário tradicional. Ao que tudo indica, o processo que caminha no RH para a área de TI ocorrerá futuramente.

 

Rubem Novaes também  assumiu que os bancos públicos têm dificuldade de reter talentos e que eles enfrentarão mais obstáculos dos que os privados para competir com as fintechs.

 

Desta forma, o novo concurso Banco do Brasil se torna necessário. Além disso, o BB enfrenta o déficit com as útlimas aposentadorias de empregados públicos, após a Reforma da Previdência.

 

 

Concurso de 2018 foi para área de TI

 

O último edita de concurso Banco do Brasil publicado foi em 2018. O grande diferencial da seleção, no entanto, foi o conteúdo programático. A parte de Conhecimentos de Informática teve o maior número de questões (25) e não Conhecimentos Bancários, como nos últimos editais da instituição.

 

Além disso, foi incluída a disciplina de Probabilidade e Estatística (20 perguntas). Ao todo, 150 mil candidatos foram convocados para realizar a prova, nas cidades de Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo. Os concorrentes responderam a 70 questões mais uma redação.

 

Do total de perguntas, 20 foram de Conhecimentos Básicos e 50 de Conhecimentos Específicos. Somente os candidatos classificados nos exames objetivos tiveram as provas de redação corrigidas. 

 

As oportunidades do concurso Banco do Brasil 2018 foram para as cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília-DF. A seleção foi homologada em julho de 2018, com validade de um ano e podendo ser prorrogada por mais um ano. 

 

 

BB tem quadro com mais de 105 mil cargos

 

Em novembro de 2019, o Ministério da Economia fixou o quantitativo de pessoal para o Banco do Brasil. A portaria, que limita o número de empregados públicos na instituição, foi publicada no Diário Oficial da União. 

 

De acordo com a portaria, o Banco do Brasil passa a contar com um limite de 105.774 empregados públicos. Deste total, ficam excluídos aqueles que têm contrato de trabalho suspenso por motivo de aposentadoria por invalidez.

 

Ainda segundo a portaria, foram contabilizados os empregados disponibilizados para as subsidiárias:

 

  • BB Administradora de Cartões de Crédito S.A. - BB Cartões;
  • BB Administradora de Consórcios S.A. - BB Consórcios;
  • BB Elo Cartões Participações S.A - BB Elo Cartões;
  • BB Banco de Investimento S.A. - BB BI;
  • BB Leasing S.A - Arrendamento Mercantil - BB Leasing S.A; e
  • Besc Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S. A. - Bescval.

 

 

Conforme o documento, compete ainda à empresa gerenciar o seu quadro próprio de pessoal, praticando atos de gestão para repor empregados desligados ou que vierem a se desligar do quadro funcional, desde que seja observado o limite ora estabelecido.

 

Desta forma, novos concursos podem ser realizados pelo Banco do Brasil, desde que sejam avaliadas as dotações orçamentárias aprovadas para cada exercício, bem como as demais normas legais pertinentes.

 

 

STF defende concurso Banco do Brasil para nível superior

 

Além do cargo de escriturário, um novo concurso Banco do Brasil pode ocorrer para graduados. Isso porque, em outubro de 2019, o ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal (STF), manteve a decisão do TRT-10 sobre a necessidade de uma nova seleção para o BB para cargos de nível superior.

 

Na decisão, o ministro julgou inviável (negou seguimento) a Reclamação (RCL) 32298, em que o Banco do Brasil pedia a cassação da decisão do TRT-10. Na época, o tribunal determinou a necessidade de um concurso público específico para profissões de nível superior.

 

Com a decisão, foi revogada a liminar concedida por ele anteriormente que havia suspendido o ato do TRT-10. Desta forma, o Banco do Brasil terá que realizar um novo concurso, para suprir vagas em cargos com atribuições de nível superior. Em resposta à Folha Dirigida, o BB informou que:

 

"A questão encontra-se sub judice no âmbito do STF, razão pela qual o Banco do Brasil se manifestará nos respectivos autos", disse em outubro.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS