close

ABANDONOU: Bolsonaro deixa entrevista com pergunta sobre crítica de ministro

O fato aconteceu durante entrevista do presidente a Arábia Saudita

METROPOLES

29 de Outubro de 2019 às 08:08

ABANDONOU: Bolsonaro deixa entrevista com pergunta sobre crítica de ministro

FOTO: (Divulgação)

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) deixou uma rápida entrevista à imprensa na manhã da última terça-feira (29/10/2019), em Riade, sem responder questões sobre críticas do ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), a um vídeo que provoca a Corte postado no perfil oficial do Twitter — e logo apagado. O mandatário brasileiro, que terá nesta terça-feira (29/10/2019) o segundo encontro seguido com o príncipe herdeiro do país, deixou a entrevista assim que o assunto foi trazido.

 

Quando foi chamado pela imprensa na porta do hotel em que está hospedado, em Riade, o presidente afirmou estar sem tempo, mas, diante da insistência dos repórteres, disse que falaria e pediu perguntas “relevantes”.

 

“Defesa é o mais importante que estamos tratando aqui”, apontou o presidente. “Eles [sauditas] querem investir no Brasil. O Brasil é um mar de oportunidade que eles descobriram”, afirmou. Nesta quarta-feira (30/10/2019), Bolsonaro será uma das estrelas do fórum econômico Future Investment Initiative, que conta ainda com outros chefes de Estado, como o primeiro ministro da Índia, Narendra Modi.

 

A postagem da discórdia


Foi postada na conta oficial do presidente nessa segunda-feira (28/10/2019) uma montagem na qual Bolsonaro é representado por um leão e inimigos, incluindo o STF, são representados por hienas que o cercam.

 

Celso de Mello reagiu duramente. Disse, em nota, que o “comportamento revelado no vídeo em questão, além de caracterizar absoluta falta de ‘gravitas’ e de apropriada estatura presidencial, também constitui a expressão odiosa (e profundamente lamentável) de quem desconhece o dogma da separação de poderes e, o que é mais grave, de quem teme um Poder Judiciário independente e consciente de que ninguém, nem mesmo o Presidente da República, está acima da autoridade da Constituição e das leis da República”.

 

A postagem foi apagada cerca de duas horas após a publicação, diante da péssima repercussão, e, até agora, ninguém do governo comentou o assunto.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS