close
logorovivo2

LATROCÍNIO: Investigadora da polícia é sequestrada e assassinada com um tiro na cabeça

Márcia Régia de Matos completaria 29 anos de carreira na Polícia Judiciária Civil

OLIVRE

23 de Março de 2019 às 10:21

LATROCÍNIO: Investigadora da polícia é sequestrada e assassinada com um tiro na cabeça

FOTO: (Divulgação)

A investigadora da Polícia Judiciária Civil Márcia Régia de Matos, 59 anos, que estava lotada em Ribeirão Cascalheira (900 km de Cuiabá), teve sua chácara roubada, foi sequestrada e, por fim, foi encontrada assassinada com um tiro na cabeça na madrugada deste sábado (23).

 

O crime teve início na noite dessa sexta-feira (22), por volta das 18h15, quando ao menos dois homens invadiram a chácara da investigadora, que fica às margens da BR-158, a 50 km de Ribeirão Cascalheira. Os criminosos renderam todos que estavam na casa, amarraram os familiares de Márcia e fugiram levando a policial civil, o Fiat Strada preto dela, duas armas pessoais da investigadora, um revólver calibre 38 e um rifle calibre 22, e uma pistola 940 pertencente à PJC.

 

Segundo a Polícia Civil, antes de entrar na casa da investigadora, os mesmos bandidos haviam invadido uma residência anexa a uma borracharia na região do Distrito de Serra Dourada, de onde levaram joias, cheque, um VW Gol e também fugiram levando uma mulher como refém, que foi liberada pouco depois.

 

Porém, eles perderam o controle do veículo da primeira vítima e caíram em uma ribanceira perto da casa da investigadora Márcia Régia, o que provavelmente motivou o assalto à casa da policial.

 

Assim que Márcia foi sequestrada, equipes de toda a região Leste de Mato Grosso deram início a buscas pela investigadora e pelos criminosos.

 

Márcia, no entanto, foi encontrada já sem vida, na madrugada deste sábado (23), por volta das 2 horas, em uma estrada vicinal, às margens da BR-158 (a 60 km da chácara dela), com um tiro na cabeça. O carro dela foi abandonado próximo ao corpo. Os suspeitos, segundo a PJC, teriam seguido a partir dali em uma motocicleta.

 

A investigadora completaria 29 anos de carreira na Polícia Civil neste ano. Natural de Araguarças (GO), ela entrou na corporação de Mato Grosso em outubro de 1990.

 

Equipes da Polícia Judiciária Civil das Regionais de Água Boa e Barra do Garças (730 e 500 km de Cuiabá) estão em busca dos criminosos. Em nota, a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) e a Diretoria da Polícia Judiciária Civil disseram que estão dando total apoio às equipes da região, tanto com reforço policial quanto com aparato logístico e investigativo.

 

Equipes da Gerência de Operações Especiais (GOE) e da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) também seguiram para região, e, nesta manhã, o delegado geral da PJC, Mário Dermeval Aravéchia de Resende, o diretor de interior, Walfrido Nascimento, e o presidente do sindicato do investigadores de polícia, Edleusa Mesquita, também estão a caminho do município, em uma aeronave do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), para acompanhar os trabalhos e prestar solidariedade à família da investigadora.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS