close
logorovivo2

ASSASSINADO: Homem é morto a facadas em balsa e corpo é jogado no rio

Após receber uma ligação, Luiz Venâncio foi até o local acompanhado de um amigo. Crime aconteceu em uma balsa da Feira da Panair

EM TEMPO

4 de Março de 2019 às 11:07

ASSASSINADO: Homem é morto a facadas em balsa e corpo é jogado no rio

FOTO: (Divulgação)

O autônomo Luiz Venâncio Farias de Souza Júnior, de 54 anos, foi assassinado com uma facada no pescoço, na madrugada deste domingo (3), em uma balsa da Feira da Panair, na rua Paes Barreto, bairro Educandos, Zona Sul de Manaus. O crime foi praticado por homens dentro de uma embarcação.

 

De acordo com a polícia, o crime ocorreu por volta das 2h30. Luiz Venâncio era morador da comunidade Casa Branca, localizado na outra margem do rio Negro. 

 

Após receber uma ligação, Luiz Venâncio foi até o local acompanhado de um amigo para acertar a segunda parcela do pagamento referente ao conserto de uma lancha, cujo proprietário atende pelo apelido "Neguinho". 

 

Na ocasião, Luiz Venâncio se desentendeu com "Neguinho" e outros dois homens, identificados como "Josué" e "Cheen". O autônomo foi dominado e esfaqueado por "Josué". O crime foi presenciado por várias pessoas, que preferiram não comentar devido a represália de "Neguinho" apontado como traficante perigoso da área. 

 

A vítima ainda foi jogada no rio, porém resgatada por populares e levada para o Porto da Panair. Os assassinos seriam irmãos e teriam fugido para o "Lago do Janauari", levando celulares da vítima e do amigo. 

 

Ao Em Tempo, a irmã da vítima de 51 anos, que preferiu não se identificar, disse que Luiz Venâncio recebeu uma ligação do devedor. Ela disse que o irmão não tinha inimigos. 

 

"Algumas pessoas contaram que os três homens estavam usando drogas e depois iniciaram uma discussão com o meu irmão. Em seguida, dois homens seguraram o meu irmão para "Josué" matá-lo. Espero que a Justiça seja feita. O meu irmão não era uma pessoa do mal, mas sim um trabalhador", disse. 

 

O corpo foi removido para o Instituto Médico Legal (IML). A vítima deixou cinco filhos, maiores de idade, e quatro netos, ainda todos crianças. O caso será investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS