close
logorovivo2

INVESTIGAÇÃO: Falso médium já havia aplicado outros golpes de mais de R$ 300 mil em idosas

Estelionatário conhecido como "Mestre Silva" tinha mandado de prisão em aberto por cometer outros dois golpes vultosos em vítimas idosas

EM.COM.BR

27 de Dezembro de 2018 às 17:20

INVESTIGAÇÃO: Falso médium já havia aplicado outros golpes de mais de R$ 300 mil em idosas

FOTO: (Divulgação)

O falso médium Djalma Alves da Silva, de 55 anos, suspeito de aplicar um golpe de R$ 284 mil em uma professora aposentada na capital mineira já havia aplicado o mesmo golpe em pelo menos outras duas vítimas. Em 2013, o médium aplicou o golpe em uma senhora de 84 anos, que teve R$ 324 mil de prejuízo. Em 2016, o estelionatário fez uma vítima de 79 anos, que teve prejuízo de R$ 39 mil.

 

Segundo a Polícia Civil, ele já era investigado pelo Departamento de Fraudes e por isso tinha um mandado de prisão em aberto por estelionato. Mas acabou sendo preso em flagrante por policiais do Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) na semana passada, quando os agentes receberam a informação de que ele estaria aplicando um golpe de grande valor financeiro. 

 

O suspeito, que também se apresentava no hipercentro da capital como “Mestre Silva”, agia sempre da mesma forma, fazendo com que as vítimas acreditassem que o dinheiro era amaldiçoado. Ele chegou a usar truques de mágica para conquistar a confiança das vítimas. Também com o nome de Antônio, o golpista atuava em uma sala alugada no Edifício Clemente Faria, na Avenida Afonso Pena, em plena Praça Sete, como se fosse um guia espiritual. 

 

De acordo com a Polícia Civil, o estelionatário fazia vítimas com perfil variado, mas o mais comum era envolvendo pessoas idosas. Outras vítimas que se identificarem com o caso devem procurar a polícia e fazer a denúncia pelo Disque Denúncia (181).

 

Prisão e suborno

 

Djalma Alves da Silva foi preso e o Auto de Prisão em Flagrante (APF) encaminhado ao Departamento de Fraudes, que vai prosseguir com as investigações. Djalma ainda tentou subornar os policiais, oferecendo R$ 20 mil para ser liberado e por isso também foi autuado por corrupção ativa, além dos crimes de uso de documento falso e estelionato. 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS