close
logorovivo2

CRUELDADE: Cachorro é morto a pauladas em mercado e segurança é suspeito

Ativista Luisa Mell divulgou vídeo do episódio: "Isso não vai ficar assim"

CORREIO 24 HORAS

4 de Dezembro de 2018 às 16:19

O segurança de um mercado Carrefour em Osasco (SP) é acusado de matar a pauladas um cachorro dentro do estabelecimento na última quarta-feira (28). No sábado (1º), um grupo de ativistas protestou no local e nesta terça (4) a protetora animal Luisa Mell divulgou imagens gravadas do caso pelas câmeras de segurança. O Carrefour afastou preventivamente os envolvidos.

 

Nas redes sociais, Luisa Mell mostrou sua chegada à delegacia especializada em Osasco que está à frente do caso e divulgou imagens cedidas pelo próprio mercado à unidade. Em uma cena, aparece um homem com um barra de ferro próximo ao cachorro. A ativista aparece depois com o jurista Fernando Capez afirmando que o cão foi agredido - nas imagens, o homem parece seguir o animal com o ferro levantado, mas carros dificultam ver o prosseguir. 

 

"Não há nenhuma dúvida (da agressão), (o cão) teve hemorragia externa. Houve omissão de socorro. A abordagem não foi adequada e tem que ser investigada", diz Capez. "Isso não vai ficar assim", promete Luisa, que se emociona no vídeo e diz ter passado mal com as imagens. 

 

Na última semana, testemunhas disseram que o segurança envenenou o cachorro e depois o agrediu com pauladas, quebrando as patas do animal. Questionados, funcionários teriam dito que o animal tinha sido atropelado.

 

O delegado Bruno Lima, eleito deputado estadual, também participou do protesto no sábado. “O laudo da morte vai ser divulgado na próxima semana e vamos registrar um boletim de ocorrência. A informação que temos é de que a ordem não foi para matar o cão, mas sim retirá-lo do local”, disse.

 

A pena para maus-tratos animais pode render de três meses a um ano de prisão e multa. A punição pode ser aumentada em até um terço se houver morte.

 

O Carrefour afirma em nota que a rede repudia qualquer tipo de maus-tratos contra animais. Segundo apuração preliminar, o animal circulava há dias pelo estacionamento, e o Centro do Controle de Zoonoses chegou a ser acionado "por diversas vezes" para o resgate. A nota diz ainda que clientes se queixaram sobre a presença do cão no dia do incidente, e um funcionário de empresa terceirizada tentou afastá-lo, o que "pode ter ocasionado um ferimento na pata do animal".  O CCZ foi acionado e uma equipe tentou usar um enforcador para imobilizar o cão, que então desfaleceu, segundo a empresa. "Estamos colaborando com as autoridades, disponibilizamos todas as informações e imagens para que o fato seja solucionado."

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS