close
logorovivo2

TRAIÇOEIRA: Sogra tenta matar genro com veneno de rato na feijoada

O caso aconteceu em março deste ano e resultou na morte de três cachorros. A vítima ficou internada por 24 horas

COMPOGRANDENEWS

29 de Outubro de 2018 às 11:36

TRAIÇOEIRA: Sogra tenta matar genro com veneno de rato na feijoada

Equipes no dia da exumação dos cachorros pela cidade FOTO: (comprograndenews)

Laudos da perícia confirmaram que Joseildo Moura, de 42 anos, foi envenenado pela própria sogra em março deste ano na cidade de Três Lagoas - a 338 quilômetros de Campo Grande. Conforme as investigações, a idosa de 62 anos colocou veneno para rato, conhecido como “chumbinho” na feijoada servia ao genro e acabou matando três cachorros da família.

 

De acordo com o site JPNews, o inquérito do caso foi concluído na semana passada e comprovou que a feijoada foi envenenada pela idosa. Para os laudos, a polícia fez a exumação dos três cachorros que morreram após comerem o prato preparado pela suspeita.

 

O dono dos animais afirmou que sentiu o gosto ruim na comida, por isso cuspiu, mas ainda assim chegou a ficar internado por 24 horas com intoxicação. A idosa também passou por um exame psicológico que comprovou um "certo grau de perturbação psicológica”, não o suficiente para afetar seu discernimento sobre o crime.

 

Com os laudos prontos, o caso foi enviado ao Ministério Público Estadual que deve apresentar, ou não, denúncia à justiça contra a idosa.

 

Entenda - A vítima registrou boletim de ocorrência, no dia 18 de março, narrando a suposta tentativa de homicídio e disse aos policiais que a mulher, identificada apenas como Alexina, serviu-lhe um prato separado de feijoada que tinha uma calabresa com gosto amargo. A comida foi dada aos cães e todos os três animais da casa morreram.

 

Segundo o registro, ele cuspiu a comida na pia e pediu ao enteado que comprasse leite para ele (a bebida é uma solução popular para intoxicação e não é recomendada pelos médicos). Ele foi levado para uma unidade de saúde e diante da suspeita de que a intoxicação teria sido provocada por terceiros, funcionários do local ligaram para a delegacia. Os médicos disseram aos investigadores que o paciente deu entrada suando muito e com rosto pálido, não tendo como afirmar naquele momento se ele realmente tinha tomado alguma substância perigosa.

 

Na época, a assessoria de comunicação do Hospital Auxiliadora afirmou que Moura foi diagnóstico de intoxicação, foi medicado, fez alguns procedimentos clínicos, exames e ficou em observação médica.

 

Joseildo disse que nunca se desentendeu com a sogra e sempre a tratou bem. A mulher dele confirma a informação, mas disse aos investigadores que a mãe demonstrava raiva pelo genro, mesmo quando morava com o falecido marido.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS