close
logorovivo2

ENXAME: Ataque de abelhas em casa no Lago Sul deixa 15 cachorros mortos

Segundo o Corpo de Bombeiros, sete cães morreram no local e outros oito em uma clínica veterinária

METROPOLES

4 de Julho de 2018 às 10:13

ENXAME: Ataque de abelhas em casa no Lago Sul deixa 15 cachorros mortos

Bombeiros tiveram que usar roupas especiais para remover cães e abelhas do local FOTO: (Divulgação)

Pelo menos 15 cachorros morreram na tarde da última segunda-feira (2/7) após serem atacados por um enxame de abelhas. O caso ocorreu em um casa na QI 11, Conjunto 11, do Lago Sul. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, oito cães perderam a vida no local e outros sete em uma clínica veterinária, para onde foram levados.

 

Todos os cães eram criados pela dona do imóvel, a servidora aposentada do Governo do Distrito Federal Marise Castilho Pereira. Até as 20h, os militares não haviam conseguido retirar os corpos dos animais, pois muitas abelhas ainda estavam no local.

 

Veja imagens abaixo: 

 

 

Ataque teria sido ocasionado por fogos de artifício disparados após o jogo entre Brasil e México

 

 

Para remover os insetos e fazer o resgate dos cães, os bombeiros tiveram de usar roupas especiais. De acordo com o chefe do Serviço Operacional de Informações Públicas da corporação, major Lourival Correia, a colmeia estava em um bueiro. Conforme explicação do militar, abelhas têm por hábitos só atacar quando se sentem ameaçadas.

 

 

“Não se pode jogar pedra ou tentar espantar. Nesses casos, sempre acione o Corpo de Bombeiros. E, se o ataque ocorrer, a recomendação é tentar proteger principalmente o rosto, pois é a região do corpo mais sensível para quem tem alergia”, alertou o oficial.

 

 

Casos comuns


Com base no Relatório Epidemiológico de Agravos de Notificação Compulsória, produzido pela Diretoria de Vigilância Sanitária do DF, ataques dessa natureza são comuns na capital do país. O estudo mostra que em 2016 foram registrados 79 casos. Ocorreram dois óbitos de pessoas nos últimos 15 anos em decorrência de episódios como o ocorrido nesta segunda (2): um em 2014 e outro em 2015.

 

Planaltina era a cidade com mais notificações: 36. Depois, apareceram Ceilândia e Sudoeste, com 14 e sete casos registrados, respectivamente, de acordo com o documento da Vigilância Sanitária.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS