close
logorovivo2

Após 46 dias afastado, Aécio Neves retoma mandato no Senado

Tucano estava fora do cargo por decisão do ministro Edson Fachin após suspeitas de corrupção passiva e obstrução de Justiça; ele deve se defender na tribuna

DA REDAÇÃO

4 de Julho de 2017 às 15:37

Após 46 dias afastado, Aécio Neves retoma mandato no Senado

FOTO: (Divulgação)

Após 46 dias afastado por decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, Aécio Neves (PSDB-MG) reassumiu seu mandato no Senado na tarde desta terça-feira e já irá participar da reunião da bancada com o presidente interino do partido, senador Tasso Jereissatti (CE).

Jereissati assumiu o cargo provisoriamente exatamente após afastamento do mineiro da presidência da legenda. Um dos temas que devem ser discutidos na reunião é exatamente a volta de Aécio ao comando do partido, o que não deve ocorrer de imediato, em razão da resistência de parte dos tucanos. É provável que Jereissati siga no comando até que a situação de Aécio fique mais clara nas investigações em andamento.

No período da tarde, Aécio usará o horário reservado ao PSDB na tribuna do plenário da Casa para fazer um pronunciamento para se defender das acusações que pesam contra ele, baseadas em gravações de conversa entre ele e Joesley Batista, dono da JBS, na qual o tucano aparece pedindo R$ 2 milhões. Aécio é investigado pela Procuradoria-Geral da República pelos crimes de corrupção passiva e obstrução de Justiça.

A expectativa é que o tucano faça um discurso na tribuna do Senado para se defender das acusações, mas ele não deve atacar o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, autor da denúncia. Aécio é investigado em dois inquéritos em razão das delações feitas por Joesley e outros executivos da JBS.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS