close
logorovivo2

Brasileiros ainda têm direito de resgatar R$ 1 bilhão do PIS/Pasep

O prazo final para resgatar o abono se expirou na semana passada, mas o governo federal decidiu estender a data.

DA REDAÇÃO

7 de Julho de 2016 às 08:26

Brasileiros ainda têm direito de resgatar R$ 1 bilhão do PIS/Pasep

FOTO: (Divulgação)

Mais de 1,2 milhão de brasileiros ainda têm o direito de sacar o abono salarial do PIS/Pasep referente ao ano de 2014. O volume total de recursos que ainda estão disponíveis soma R$ 1,084 bilhão, de acordo com o Ministério do Trabalho.

O prazo final para resgatar o abono se expirou na semana passada, mas o governo federal decidiu estender a data.

Tem direito a receber o abono salarial quem está inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos; tenha trabalhado pelo menos 30 dias em 2014 com remuneração mensal média de até dois salários mínimos; e tenha seus dados informados corretamente pelo empregador na RAIS (Relação Anual de Informações Sociais).

Para quem ainda não realizou o saque, basta procurar uma agência bancária da Caixa ou do Banco do Brasil entre os dias 28 de julho e 31 de agosto. O abono corresponde ao valor de um salário mínimo (R$ 880). Os recursos que não forem sacados serão devolvidos ao FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador).

VEJA TAMBÉM: Norte é a região com o menor percentual de saques do PIS/Pasep no país

Somente em São Paulo, 405.888 pessoas ainda não retiraram o abono. O valor corresponde a 33% do total dos trabalhadores que ainda não resgataram o recurso e equivale a R$ 357 milhões do total disponível. O segundo estado com o maior número de pendências é o Rio de Janeiro, com cerca de 107 mil trabalhadores que ainda poderão fazer o saque.

O Rio Grande do Sul tem mais de 97 mil beneficiários que ainda não retiraram o abono e é seguida por Minas Gerais (95 mil) e Santa Catarina (83 mil). Os 10 estados com maior número de beneficiários, que ainda não fizeram o saque, correspondem a 80% do montante destes trabalhadores.

Para obter mais informações a respeito do benefício, o trabalhador deve entrar em contato com a Central de Atendimento do Ministério do Trabalho pelo número 158.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS