close
logorovivo2

Goleiro brasileiro do polo é acusado de abuso sexual, diz polícia

Goleiro brasileiro do polo é acusado de abuso sexual, diz polícia

DA REDAÇÃO

24 de Julho de 2015 às 15:56

 Goleiro brasileiro do polo é acusado de abuso sexual, diz polícia

FOTO: (Divulgação)

A polícia de Toronto concedeu entrevista coletiva nesta sexta-feira (24) para falar sobre o caso de abuso sexual envolvendo um atleta da seleção brasileira de polo aquático na sua passagem pelos Jogos Pan-Americanos. De acordo com Joanna Beaven-Desjardins, inspetora-chefe de crimes desta natureza, o goleiro Thye Bezerra Mattos, de 27 anos, cometeu assédio contra uma jovem canadense. O jogador, que não está mais no país, está com mandado de prisão emitido no Canadá. Ele não foi encontrado para comentar o assunto.
 
"A vítima é uma mulher de 22 anos, residente da cidade de Toronto. O caso aconteceu na manhã do dia 16 de julho. Na ocasião, ele entrou no quarto dela, na casa de vítima, junto com um amigo, cometeu o abuso e foi embora", afirmou Desjardins. "No Canadá, usamos o termo abuso sexual, e não estupro".
 
A inspetora não deu detalhes sobre o crime. Afirmou apenas que a vítima não era uma atleta e que o outro homem envolvido, também membro da delegação brasileira de polo aquático, não é suspeito de abuso. Ambos teriam sido convidados pela vítima a irem a sua casa e estavam com uma quarta pessoa, uma mulher, que também não está ligada ao crime. 
 
Desjardins evitou dizer como a polícia identificou Thye como o agressor e não confirmou se a vítima passou por algum exame. Afirmou apenas que, se estivesse no país, o goleiro ficaria preso enquanto ocorrem as investigações e que o caso será tratado junto às autoridades brasileiras.
Segundo as leis canadenses, abuso sexual inclui qualquer forma de contato não consentido entre as partes. Isso inclui beijos, abraços forçados, sexo oral e/ou penetração.
Pela data fornecida pela polícia canadense, o crime teria ocorrido um dia após a conquista da medalha de prata pela equipe masculina de polo aquático. Após a decisão contra os Estados Unidos, os atletas foram liberados e participaram de uma festa. A delegação deixou o Canadá na noite do dia 16 rumo à Croácia, onde fazem a aclimatação para o Mundial de esportes aquáticos que ocorrerá em Kazan, na Rússia.
 
Em contato com o UOL Esporte, Marcos Maynard, diretor de polo aquático da CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos), disse achar estranha a acusação sobre Thyê.
 
"É estranhíssimo tudo isso. Eu liguei para o Felipe Perrone (capitão da seleção) e ele me disse que nesse dia saíram todos para jantar, os 13 atletas do masculino e as 12 do feminino. E voltaram para a Vila Olímpica"
 
A pena para este tipo de crime no Canadá pode chegar a 15 anos de prisão. Não há acordo de extradição entre o país e o Brasil, mas Thye pode ser preso se passar por alguma nação onde haja este tipo de pacto. O cônsul brasileiro de Toronto diz que é impossível isso acontecer. 
 
"É algo que vamos tratar como qualquer outra acusação de abuso sexual. Não há registro de nenhum outro caso nos Jogos", afirmou a inspetora, que revelou que fotos do goleiro foram espalhadas por Toronto.
 
"Podem ter outras vítimas. Ele ficou duas semanas em Toronto. É por isso que a foto dele foi espalhada. Não sabemos o que ele pode ter feito na cidade", comentou Desjardins.
 
Até a entrevista concedida pelas autoridades canadenses, nenhum dirigente do COB ou membro da equipe brasileira havia sido informado do caso.
 
"Depois que soubemos, fizemos três ações: contatamos advogado daqui de Toronto para preparar para qualquer necessidade, contatamos o consulado brasileiro e falamos com Ricardo Moura e eles não tinham nenhuma informação". disse Marcus Vinícius Freire, superintendente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), em outra coletiva na mesma hora em Toronto..
 
"Não sabemos ainda nada sobre isso então é difícil comentar sem ter ainda as informações", confirmou o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman.
 
A delegação brasileira de polo aquático conquistou duas medalhas nos Jogos Pan-Americanos de Toronto. A equipe masculina saiu com a prata em final de grande rivalidade contra os Estados Unidos. Já o time feminino conquistou o bronze.
 
*Colaboraram Antoine Morel e Rodrigo Mattos, em Toronto. E Brunno Carvalho, em São Paulo

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS