close
logorovivo2

Jovem assassinada durante roleta-russa no PR desafiou amigo a dar o tiro, diz polícia

Jovem assassinada durante roleta-russa no PR desafiou amigo a dar o tiro, diz polícia

DA REDAÇÃO

10 de Março de 2015 às 10:38

Jovem assassinada durante roleta-russa no PR desafiou amigo a dar o tiro, diz polícia

FOTO: (Divulgação)

O delegado do Denarc (Departamento de Investigação sobre Narcóticos) Gustavo Alves confirmou nesta segunda-feira (9) que o assassinato de Natália Jeane Germano, de 19 anos, aconteceu durante um jogo de roleta-russa. A jovem morreu na última quinta-feira (5) em Maringá, interior do Paraná. O suspeito que confessou o crime está preso. 



— Ela desafiou o amigo se ele tinha coragem para atirar nela. Ele então fechou o tambor e deu o tiro, atingindo Natalia.

 Na imagem, o grupo de amigos aparece reunido momentos antes do crime.

O corpo da jovem foi encontrado no último sábado (7). Ela estava desaparecida desde quinta-feira, quando saiu de casa para se encontrar com amigos. De acordo com a mãe dela, Maria José Germano, a casa em que o grupo estava era um ponto de droga.

— Me falaram que ela foi até a casa de alguém com o Vitão e a vizinha. A casa desse menino é um ponto de droga e talvez a Natália não sabia disso (sic).

Ainda de acordo com Maria José, a filha pode ter sido assassinada durante uma discussão.

Após encontrar o corpo, a polícia prendeu três rapazes suspeitos de envolvimento na morte. Os três confirmaram que bebiam com Natália e uma amiga, e que Vitor Hugo de Lima Bueno (o rapaz no meio da foto abaixo) disparou contra a jovem no momento em que trocavam uma munição no revólver.

A jovem que acompanhou Natália ficou desaparecida por alguns dias, mas os vizinhos alegam que ela fugiu para uma cidade no interior do Paraná. Maria José acredita que essa jovem possa ter participação no crime.

— Por que ela sumiu? Foi embora? Isso está estranho porque foi ela quem chamou a Natália para sair de casa.

A polícia encontrou maconha e cocaína na casa de Jonathan Natanael, um dos três suspeitos que foram indiciados por homicídio qualificado, ocultação de cadáver, tráfico de drogas e associação ao tráfico.

A mãe desabafa sobre a perda de Natália, que era filha única.

— Além de matarem a minha filha, jogaram o corpo dela em um mato como um cachorro. Isso me feriu demais, acabou comigo para sempre.

Segundo o laudo da morte, Natália foi assassinada com um tiro na cabeça às 15h30 da última quinta-feira (5).

 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS