close
logorovivo2

BRASIL - Rede Nacional de Avaliação de Cultivares de Milho abre inscrições para ensaios da safra 2010/2011

Estão abertas as inscrições para participação na Rede Nacional de Avaliação de Cultivares de Milho - Ensaio Nacional, Safra 2010/2011. O objetivo é avaliar, em rede de ensaios, cultivares de milho comerciais e em fase de pré-lançamento desenvolvidas tanto

DA REDAÇÃO

19 de Agosto de 2010 às 14:30

BRASIL - Rede Nacional de Avaliação de Cultivares de Milho abre inscrições para ensaios da safra 2010/2011

FOTO: (Divulgação)

Estão abertas as inscrições para participação na Rede Nacional de Avaliação de Cultivares de Milho - Ensaio Nacional, Safra 2010/2011. O objetivo é avaliar, em rede de ensaios, cultivares de milho comerciais e em fase de pré-lançamento desenvolvidas tanto por instituições públicas como privadas.
A Rede de Ensaios Nacionais de Cultivares Milho, criada em 1962, tem sido coordenada pela Embrapa Milho e Sorgo, que recebe as sementes dos materiais previamente inscritos, monta/prepara os ensaios e distribui para os parceiros, de acordo com a disponibilidade de locais para implantação e regiões de interesse estratégico. Junto com os ensaios, são enviadas as instruções de montagem, acompanhamento e coleta de dados e de informações.
A implantação/condução dos ensaios, no campo, é feita pelos parceiros da Rede, assim como a coleta e envio dos dados para a Embrapa Milho e Sorgo que, após processá-los, disponibiliza-os no site e em publicações apropriadas.
A avaliação de desempenho das cultivares de milho desenvolvidas pelos vários programas de pesquisa tem fornecido informações sobre médias de produtividade e outras características agronômicas, tais como: resistência ao acamamento e quebramento, sanidade de grãos/espigas, altura de plantas e ciclo. Esses dados são fundamentais para melhoristas, técnicos da extensão, produtores e empresas de sementes, que os utilizam na tomada de decisões referentes à viabilidade comercial das cultivares.
É importante considerar a elevada taxa de substituição de cultivares que ocorre ao longo do tempo. Dados dos Ensaios Nacionais, conduzidos pela Embrapa, mostram que em dois anos essa taxa é de praticamente 100%, o que evidencia o caráter dinâmico do melhoramento de milho e a importância desse tipo de avaliação para o agricultor brasileiro.
O engenheiro agrônomo da Embrapa Milho e Sorgo, Leonardo Melo, explica a relevância da Rede. "As novas cultivares obtidas anualmente nos programas de melhoramento devem ser comparadas em ensaios de avaliação com outros materiais e com testemunhas de comportamento conhecido para se aferir o seu valor relativo. A indiçação e o uso de cultivares não adaptadas a determinadas regiões trazem sérios problemas de ordem econômica, social, ambiental e financeira, uma vez que cultivares mal adaptadas pressupõem baixa produtividade, consequentemente baixo retorno financeiro, uso indiscriminado de defensivos agrícolas, excesso de tratos culturais e de operações no campo."
Vale ainda destacar o caráter inovador da proposta da Rede: aliar ao processo de avaliação (usualmente apenas da produtividade), informações sobre adaptabilidade e estabilidade de produção, recomendação regionalizada e zoneamento agrícola.
Para inscrição de materiais nos ensaios, podem participar quaisquer empresas ou instituições de pesquisa, públicas ou privadas, que desenvolvam programa próprio de melhoramento genético de milho. Para condução de ensaios, podem se candidatar a participar quaisquer empresas ou instituições de ensino ou pesquisa, públicas ou privadas, que desenvolvam atividades na área agropecuária.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS