close
logorovivo2

Janeiro bate novo recorde na geração de empregos formais

Janeiro bate novo recorde na geração de empregos formais

DA REDAÇÃO

20 de Fevereiro de 2008 às 13:44

Janeiro bate novo recorde na geração de empregos formais

FOTO: (Divulgação)

O ano de 2008 começa com mais uma notícia positiva. Seguindo o ótimo desempenho na geração de empregos de 2007, o mês de janeiro obteve resultado recorde com a criação de 142.921 postos com carteira assinada, uma alta de 0,49% em relação a dezembro de 2007. No comparativo com janeiro de 2007, a alta foi de 35,5%. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), do Ministério do Trabalho e Emprego, e registram o melhor desempenho do mês na história do CAGED (em termos absolutos e relativos). Nos últimos doze meses - de janeiro de 2007 a janeiro de 2008 - o crescimento do emprego celetista foi de 6,03%. Para o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, o bom desempenho de setores como serviços, indústria da transformação e construção civil mostram a força do crescimento da demanda interna. Otimista, ele prevê um novo recorde de postos em fevereiro e para o ano de 2008. "Apesar da crise internacional, o Brasil entrou num ciclo vitorioso, que veio para ficar. A inflação está caindo e a demanda interna continua muito forte, revelando o aumento do poder de compra da população" destacou. "Como emprego vem crescendo de forma homogênea em todos os setores e regiões do país, continuo afirmando que teremos em 2008 o melhor ano da geração de emprego, com 1,8 milhão de novas vagas e um crescimento de 6% no setor formal", disse. O atual recorde é de 2007, quando foi registrado um saldo de 1,6 milhão de postos e um crescimento de 5,85%. A expansão do emprego em janeiro foi generalizada. Quase todos os setores de atividade econômica apresentaram saldo positivo de contratos formais. Destaque para a Indústria de Transformação, que obteve o maior número absoluto de novos postos em janeiro: 59.045 (alta de 0,84%). O melhor resultado da série histórica do CAGED para o período. Em termos percentuais, a Construção Civil continua sendo a grande vedete. O crescimento foi de 2,53% no mês de janeiro, gerando 38.643 vagas. O setor de Serviços registrou alta de 0,43% (49.077 postos) no primeiro mês de 2008, a segunda maior geração para o período, perdendo apenas para a registrada em 2005 (+ 54501, alta de 0,56%). O Comércio foi o único segmento de atividade econômica a obter resultado negativo no saldo de empregos celetistas. Fruto de questões sazonais, como o fim de contratos que atenderam a forte demanda do fim do ano (- 14.144 ou -0,22%). Regiões - Mais uma vez a Região Sudeste apresentou forte geração de empregos. Foram 77.151 novos postos em janeiro de 2008, uma alta de 0,48%. Assim como o Sul (+ 48.898 vagas, ou + 0,91%), o resultado foi recorde em termos absolutos e relativos de toda a série histórica do CAGED. O Centro-Oeste não gerou recorde, mas obteve o maior percentual de crescimento de postos celetistas: alta de 1,12% (22.679 vagas). A Região Norte gerou 1.206 novos empregos. O Nordeste foi a única região a apresentar recuo de vagas: -7.013, declínio relacionado a questões sazonais. "A retração está ligada à entressafra da cana-de-açúcar, e nos próximos meses a região já deverá apresentar crescimento, prinicpalmente por causa da construção civil e do comércio", prevê Lupi. Estados - A metade dos empregos formais gerados em 2008 foi registrada em São Paulo: foram 65.112 novos postos (alta de 0,68%). O Rio Grande do Sul ficou na segunda colocação, com 19.029 vagas (+ 0,97%); seguido pelos demais estados da Região Sul: Santa Catarina (17.552, ou 1,20%) e Paraná (+ 12.317, ou 0,63%). Com a exceção do estado catarinense, os outros três estados obtiveram o melhor desempenho do CAGED no período.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS