close
logorovivo2

Bolívia cobra pedágio de R$ 886 para manter brasileiros no país

Bolívia cobra pedágio de R$ 886 para manter brasileiros no país

DA REDAÇÃO

13 de Maio de 2007 às 10:51

Bolívia cobra pedágio de R$ 886 para manter brasileiros no país

FOTO: (Divulgação)

*O governo da Bolívia está cobrando R$ 886 para regularizar cada brasileiro que se encontra morando e trabalhando em seu país. Como as famílias são formadas em média por seis pessoas, os brasileiros vão ter de desembolsar mais de R$ 5 mil para continuarem vivendo com seus familiares em território boliviano. * A maioria das famílias que se encontram ao longo da fronteira boliviana entre o Acre e Rondônia é formada por seringueiros e pequenos agricultores. Assim, dificilmente poderão pagar para continuar morando e trabalhando no país vizinho. * Impasse * Este será certamente um dos grandes entraves para regularizar a situação dos brasileiros em território boliviano, depois que o governo daquele país, além de nacionalizar a produção de petróleo e gás, decidiu fazer uma reforma agrária pela qual dá prioridade à concessão de terras produtivas para os próprios bolivianos, que hoje vivem, em sua maioria, em estado de extrema pobreza e miséria. *O preço de regularização migratória cobrado pelos bolivianos consta do ofício enviado pelo prefeito Paulinho Almeida, do município acreano de Plácido de Castro, na fronteira com a cidade boliviana de Montevidéu, ao deputado federal Nilson Mourão (PT-AC), presidente da Frente Parlamentar Brasil-Bolívia. Os deputados federais Nilson Mourão e Zico Bronzeado (PT-AC) estão liderando as negociações políticas em Brasília para evitar qualquer ameaça aos brasileiros residentes no território vizinho. * Exorbitância denunciada *Ao receber o ofício do prefeito, os dois deputados informaram ao Itamaraty e à Embaixada boliviana no Brasil o elevado custo de regularização cobrado dos brasileiros pobres moradores naquele país. O deputado Nilson Mourão enviou cópia do ofício do prefeito de Plácido de Castro ao encarregado de negócios da embaixada boliviana, ministro conselheiro Pedro Gumucio, com que Mourão e Bronzeado estiveram, quinta-feira, indagando da posição do governo boliviano com relação à situação migratória dos brasileiros. * Além de denunciar a exorbitância da cobrança pela regularização, o deputado Mourão pediu ao diplomata boliviano, que responde atualmente pela chefia da embaixada, sua intercessão com o Parlamento boliviano para uma visita de membros do Grupo Parlamentar Brasil-Bolívia a La Paz. * Melhores relações * A visita dos deputados buscaria estreitar as relações entre os dois parlamentos e contribuir no processo de integração dos dois países. Mourão informou que o mesmo esforço está sendo feito, hoje, em La Paz pelo embaixador brasileiro na Bolívia, Antonino Mena Gonçalves. * “Considero que o caminho de cooperação e integração iniciado entre Brasil e Bolívia deve ser fortalecido sempre mais e que o confronto não servirá aos interesses de brasileiros e bolivianos, que esperam de seus líderes sensatez e responsabilidade em momentos de dificuldades como estamos vivendo”, assinalou Mourão, no comunicado que enviou nesta sexta-feira ao chefe da embaixada boliviana.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS