close

DADOS: Embrapa disponibiliza informativo sobre o Censo Agropecuário 2017 de RO

No que diz respeito à escolaridade, o levantamento demonstra baixo nível de escolaridade (79%), o que representa o principal obstáculo para a utilização de técnicas mais adequadas ao processo produtivo.

EMBRAPA

11 de Março de 2020 às 14:55

.

 

A edição especial do Informativo Agropecuário de Rondônia, produzido pela Embrapa, traz uma análise dos dados obtidos no Censo Agropecuário de 2017, principalmente sobre a estrutura agrária, meios de produção, tecnologias de comunicação e acesso aos meios de informação, receitas e despesas, agroindústria rural e sobre a agricultura familiar no contexto do Censo Agropecuário 2017.

 

De acordo com o Censo Agropecuário de 2017, Rondônia possui mais de 91 mil estabelecimentos agropecuários e 81,3% deles são da agricultura familiar. A área ocupada por estes estabelecimentos foi de 9.219.883 hectares, enquanto que no Censo de 2006 era de 8.433.868 hectares. Houve, portanto, aumento de 9,3% da área dos estabelecimentos.

 

Em 11 anos, entre os censos de 2006 e 2017, ocorreram grandes variações na utilização das terras em Rondônia. A área ocupada com lavouras temporárias teve aumento de 29,8%, enquanto a com lavouras permanentes recuou 50,5%. A área ocupada com pastagens plantadas também apresentou crescimento, de 28,4%.

 

O Censo 2017 também apresenta a ascensão das mulheres à frente do empreendimento rural, 6,7% a mais do que em 2006, sendo que quase 32% do pessoal ocupado na atividade agropecuária em Rondônia é feminina.

 

No que diz respeito à escolaridade, o levantamento demonstra baixo nível de escolaridade (79%), o que representa o principal obstáculo para a utilização de técnicas mais adequadas ao processo produtivo.

 

O aumento do acesso à rede de energia elétrica foi um ponto positivo constatado, já que facilitou o aumento no processamento da produção e o uso de irrigação que, apesar de menos de 10% das propriedades a utilizarem, a área irrigada aumentou 174%. 

 

Quanto a posse de implementos e máquinas agrícolas, houve aumento de mais de 170%. O maior crescimento se deu no item semeadeiras/plantadeiras, certamente impulsionado pelo cultivo de grãos que vem aumentando ano após ano no estado. 

 

Outro dado interessante do Censo é que o acesso aos meios de comunicação tem se acentuado ao longo dos anos na área rural, principalmente por intermédio da telefonia móvel e internet. Os dados mostram que 66,1% dos estabelecimentos recenseados possuíam telefone e 28,5% tinham acesso à internet, o que facilita o processo de comunicação dos produtores e o acesso a informações. A televisão continua sendo o veículo de comunicação mais utilizado na busca por informações técnicas, seguida pelo rádio e internet.

 

Dado preocupante é o envelhecimento da população rural. De 2006 para 2017 aumentou em quase 116% os estabelecimentos que tiveram acesso a recursos com aposentadoria. Isso indica que pode não estar havendo substituição à altura dessa mão de obra no campo. 

 

O Censo 2017 também identificou que Rondônia possui mais de 3 mil agroindústrias, sendo a farinha de mandioca o produto com mais estabelecimentos, seguida dos produtos lácteos e polpa de frutas.

 

Quando à agricultura familiar em Rondônia, ela representa 81,3% dos estabelecimentos e ocupa 37,7% da área total dos estabelecimentos agropecuários rondonienses. O total de pessoas ocupadas na agricultura familiar representa 75% do total e as mulheres são 34% da força de trabalho da agricultura familiar.

 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS