close
logorovivo2

ENTRADA GRATUITA: Dia de Campo de Banana acontece dia 14 de junho, em Porto Velho

A novidade deste ano é o Desperfilhador de bananeira por roto-compressão, também conhecido como “Nova Lurdinha”, ou "Desbrotador de banana"

EMBRAPA

10 de Junho de 2019 às 14:47

ENTRADA GRATUITA: Dia de Campo de Banana acontece dia 14 de junho, em Porto Velho

FOTO: (Divulgação)

A banana, uma das principais culturas da agricultura familiar rondoniense, será tema central de um Dia de Campo da Embrapa e Energia Sustentável do Brasil (ESBR), que acontecerá dia 14 de junho, a partir das 8h30, no reassentamento rural coletivo Vida Nova, localizado a 6,5 km do distrito de Nova Mutum – Porto Velho, sentido Acre, nas proximidades da Usina Hidrelétrica de Jirau. A entrada é gratuita e serão abordados temas como comercialização e mercado, controle de pragas e doenças e manejo da cultura. Mais informações nos telefones (69)3219-5051/5058.

 

A novidade deste ano é o Desperfilhador de bananeira por roto-compressão, também conhecido como “Nova Lurdinha”, ou "Desbrotador de banana". O aparelho facilita a vida do produtor, prologando a vida útil do bananal. Desenvolvido pela Embrapa Amazônia Ocidental, o dispositivo substitui a tradicional “Lurdinha”. O Desperfilhador reduz em 20% o tempo de operação, quando comparado à “Lurdinha”, e apresenta eficiência de quase 100% na remoção dos brotos, ou seja, não ocorre a rebrota. Assim, evita-se o retrabalho e aumenta o intervalo entre as desbrotas. 

 

A bananeira produz muitos brotos, o que leva ao número excessivo de plantas por touceira, competindo entre si, interferindo negativamente no tamanho dos frutos, o que acarreta redução da produção. O público poderá ver este dispositivo em ação durante o Dia de Campo. O equipamento pode ser encontrado no mercado brasileiro. Duas empresas estão licenciadas para fabricar e comercializar o produto: a Marcassio, de Atalanta (SC), e a Authomathika, de Sertãozinho (SP).

 

Os participantes também terão a oportunidade de conhecer tecnologias para aumentar a eficiência produtiva e sustentabilidade da bananicultura, ver resultados parciais do diagnóstico da cultura no estado, manejo de pragas e doenças, com destaque para a broca da bananeira, broca-gigante, sigatoka-negra, mal-do-panamá, entre outros.

 

O público alvo do evento são os agricultores familiares, técnicos da extensão rural, estudantes de ciências agrárias, mas o evento é aberto também à participação da comunidade em geral que tenha interesse em conhecer mais sobre o cultivo da banana, um dos frutos mais consumidos pela população brasileira, o que não é diferente no estado de Rondônia.

 

 

 

 

 

Bananicultura em Rondônia 

 

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE, 2019), Rondônia é o quarto maior estado produtor de banana da Região Norte, atrás apenas do Pará, Amazonas e Roraima. A cultura é uma das principais fontes de renda da agricultura familiar rondoniense, consolidando-se como o quarto produto agrícola com maior valor bruto de produção (VBP) de Rondônia, cujo valor estimado para 2019 é de 225 milhões de reais. Conforme resultados preliminares do Censo Agropecuário de 2017, existem no estado cerca de 3 mil estabelecimentos produtores de banana, considerando somente aqueles com mais de 50 pés plantados.

 

Em 2018 a área colhida com a cultura foi de 5.964 ha, com produção estimada de 90.065 toneladas e produtividade média de 15 toneladas/ha (IBGE, 2018). Os principais municípios produtores nessa safra foram: Porto Velho, Buritis e Governador Jorge Teixeira.

 

 

Principais municípios produtores de banana em Rondônia, 2018:

 

 

 

Realização e parcerias

 

O Dia de Campo de Banana é uma realização da Embrapa Rondônia e ESBR, e busca promover o desenvolvimento sustentável da agropecuária para toda a região do entorno da Usina Hidrelétrica Jirau e para Rondônia.

 

A ação também faz parte do Projeto Integrado para a Produção e Manejo Sustentável do Bioma Amazônia, financiado pelo Fundo Amazônia e operacionalizado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Por meio do projeto Tecnologias Sustentáveis para o Fortalecimento da Fruticultura na Amazônia, são realizadas atividades de sensibilização dos agricultores familiares quanto à adoção dos sistemas de produção com fruteiras em Rondônia, no Território Madeira Mamoré.

 

O evento conta ainda com o apoio da Subsecretaria de Agricultura e Abastecimento de Porto Velho (Semagric), Emater-RO, Reassentamento Rural Coletivo Vida Nova e da Cooperativa de Produtores Rurais do Observatório Ambiental Jirau (COOPPROJIRAU). 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS