close
logorovivo2

PRAZO: Produtores têm até o dia 15 de novembro para vacinar o rebanho

O prazo para fazer a comunicação da vacina encerra-se no dia 22

SECOM

25 de Outubro de 2018 às 14:49

PRAZO: Produtores têm até o dia 15 de novembro para vacinar o rebanho

FOTO: (Secom)

A 45ª etapa da Campanha de vacinação da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron) teve início no dia 15 de outubro e vai até o dia 15 de novembro. Nesta etapa deverão ser vacinados todos os bovinos de zero a 24 meses. O prazo para fazer a comunicação da vacina encerra-se no dia 22 de novembro.



Segundo o presidente da Agência Idaron, Anselmo de Jesus, o estado de Rondônia tem trabalhado para se tornar área livre de febre aftosa sem vacinação, “a 46º etapa da vacinação que acontece em maio do ano que vem deve ser a última no estado, depois deixaremos de vacinar o rebanho, pois já estamos livres do vírus circulante da doença”, afirmou o presidente.



Anselmo de Jesus também destacou o andamento das metas estabelecidas pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), onde o estado de Rondônia vem cumprindo à risca. Três importantes metas e as mais difíceis estão sendo concluídas que são a geolocalização das propriedades, o cadastramento de todos os animais de unhas rachadas, também são animais que podem contrair aftosa, que são suínos, ovinos e caprinos, “a partir desse cadastramento a Idaron passa a ter o controle de trânsito desses animais, igual do rebanho bovino”, garantiu Anselmo de Jesus.



Outra importante meta que está sendo cumprida é o planejamento de fronteira, onde Rondônia está montando postos de fiscalização e vídeo monitoramento nas áreas de fronteiras com outros estados e com países vizinhos com a Bolívia. Trabalho, que segundo o presidente da Idaron tem contado com a parceria dos governantes dos estados que fazem divisa com Rondônia.



O papel do produtor de Rondônia nesse processo de área livre de febre aftosa sem vacinação vem sendo fundamental, pois criou-se uma conscientização onde o percentual de vacinação do rebanho nas campanhas ultrapassa 99%”. A retirada da vacinação da febre aftosa do rebanho, irá gerar uma grande economia para o estado de cerca de R$ 140 milhões, só com a vacina o são investidos R$ 30 milhões, o abcesso provocado pela vacina na paleta do animal gera um prejuízo de R$ 50 milhões por ano, sem falar nos acidentes provocados durante a vacinação.



Rondônia se tornando área livre de febre aftosa sem vacinação mostra a eficiência do poder público do estado em combater a doença de sanidade animal e abre um leque no mercado externo e uma valorização no preço do produto em torno de 30%.
 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS